Wednesday, 12 March 2008

À Mariana

De ti muito gosto
Tanto quanto desejas
És bonita talentosa
Escreves tuas prosas
Mas não te tornes vaidosa
O desenho é o teu "hobby"
Mas não deixes de escrever
Podes juntar os dois
Eu vi
Sei que vais conseguir fazer
Os teus pais alegria terão
Se o teu curso tirares
E tu sabes bem
Que deves brilhar
Eu fico a ver também
Tua avó eu sou
Do coração te amo
Este poema é para ti
Sonhar contigo vou
E tu vais lê-lo sem drama

As Nuvens

I

Nuvens passam de mansinho
Como se não fosse nada com elas
Mas eu não as perco no caminho
Com persistência a vê-las

II

Elas dançam no céu
Com o propósito de se juntar
Para que meus olhos e os teus
As possam admirar

III

Se olhares bem para elas
Começam a escurecer
Como são belas
Vai mesmo escurecer

IV

As nuvens são brancas
Também cor de chumbo
Se não houvesse nuvens pela certa
Isto estou a ser franca
Era o fim do Planeta

À minha netinha Carolina

És inteligente
Nisso eu sinto vaidade
Pois tenho uma netinha
Querida e linda
É toda a minha felicidade

Peço a Deus por ti amor
Pois desejo que sejas querida
Serás sempre linda como uma flor
Uma rosa ou margarida

Também gosto de te ver montar
Vejo-me em ti querida
Quando era da tua idade
Podes crer minha netinha
Até nisso tenha vaidade

Não deixes de montar
Peço-te por favor
Teria muita pena
Se o fizeres
Meu amor

Em Memória do Atleta Rui Guimarães

Quase te vi nascer
Acompanhei o teu crescimento
Um bonito homem te fizeste
Foste um atleta a valer
Mas muita sorte não tiveste
Naquele triste momento

Teus pais sempre amaste
Eras um bom filho
Carinhoso para tua mãe
Ela fala de ti com carinho
Para teus pais nunca te afastaste
E teus irmãos, cunhados e sobrinhos
Têm muitas saudades também

Teus pais ainda te choram
Com mágoa por não te salvar
Para isso tudo fizeram
Mas quis o destino que assim fosse

A tua vida perdeste
Nesse dia acidentado
E ainda nesse dia um beijo me deste
Foi de facto um dia malfadado

Parece-me que foi hoje
Eras quase um menino
Com tua mocidade irias longe
Agora estás junto do Divino.

Os Colaboradores do Aquarius

I

Simpáticos, eles são
Paula, Mário
E Maria do Rosário
Sem excepção
Por isso escolhi este tema
Do coração
Lhes faço este poema

II

Vosso sorriso é cativante
Tudo em vós é simpático
É relevante
Mesmo que digam o contrário

III

Gosto da vossa companhia
E é só essa a razão
De vir ao Aquarius desfrustrar
Da vossa boa disposição
Quando venho o café tomar

Um Artista

Comendador António Inverno
Homem da Serigrafia
Amigo de Artur Bual
Isto é da sua biografia

Esteve com Thomás de Melo
Na Feira Internacional de Lisboa
Colaborou na "Seara Nova"
Fez o que era de bel

Criou um Centro de Serigrafia
Com o nome de António Inverno
Pelas artes tudo fez
Expôs em Portugal inteiro

Artista memorável
António Inverno
Seu trabalho impecável
Fará seu nome eterno

Eu Mesma

I

Sou tudo e nada sou
Gosto de pintar
De escrever também

Espero poder chegar ao fim
Talvez possa ajudar alguém
Que precise de mim

II

Escrever sabe bem
O espírito fica leve
Meu consciente diz
Se puderes escreve
É a tua disposição
Eu assim também o quis
Quem manda é o coração

III

Tudo são palavras soltas
Que eu me prezo delas
Talvez sejam loucas
Mas vejo-me nelas